Agora você pode consultar a autenticidade dos documentos no site da Documentall

Gestão de risco: o que é?

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no email
Email

Toda empresa assume riscos quando concede crédito. Afinal, é impossível prever quando um cliente irá deixar de pagar. A inadimplência, muitas vezes, decorre de fatores externos ao relacionamento da empresa com o cliente. Por isso, é essencial contar com medidas estratégicas para minimizar os riscos e danos pela falta de pagamento. Em outras palavras, a gestão de riscos é algo que nenhuma empresa deve ignorar.  

Quando a empresa possui uma boa gestão de riscos é possível conceder crédito sem comprometer a saúde financeira do negócio. Para saber quais são os fatores que impactam no sucesso da gestão de risco e como a tecnologia pode auxiliar seu negócio, não deixe de conferir.

O que é a gestão de risco?

A gestão de riscos nada mais é do que um conjunto de boas práticas visando mapear todas as consequências da inadimplência. Como explicamos, é muitos difícil prever quando um cliente se tornará inadimplente. No entanto, é possível analisar as consequências e definir medidas que devem ser adotadas com o objetivo de mitigar riscos e danos.

Na gestão de riscos são definidas uma série de práticas que servem não apenas para reduzir os riscos, como também visam lidar com eles.

Gestão de risco e crise econômica

As crises econômicas são um dos principais fatores que contribuem para a inadimplência. Com o aumento do desemprego, a tendência é que muitos clientes que possuem crédito deixem de cumprir com os acordos. Toda empresa que está inserida em um contexto de crise deve tomar os devidos cuidados para impedir a inadimplência. E, mais do que isso, deve se preocupar em criar estratégias para lidar com o risco.

Em um cenário em que a economia está desaquecida, toda empresa deve ter ações estratégias para preservar seu capital de giro e evitar dívidas decorrentes de empréstimos. Hoje, os bancos estão cada vez mais rigorosos na hora de conceder crédito. Por isso, é preciso apostar em outras soluções que não empréstimos, por exemplo.

Independentemente do porte do negócio, ter uma boa gestão de risco impede que a empresa feche as portas de forma prematura e conquiste uma boa saúde financeira.

Como criar uma gestão de risco de sucesso

Boa parte dos empreendedores e gestores reconhece a importância de criar uma boa gestão de risco. No entanto, nem todos sabem quais são os fatores que implicam no sucesso ou no fracasso dessa prática.

Como explicamos, a inadimplência não é algo fácil de prever e muitas vezes sequer ela está relacionada com o comportamento da empresa perante o cliente. Porém, utilizando estratégias e boas ferramentas é possível realizar uma gestão de riscos eficiente e que de fato minimize danos para a empresa. Alguns dos fatores que colaboram para uma gestão de risco de sucesso listamos a seguir.

Processamento de dados

O processamento de dados é um dos fatores que contribui para o sucesso da gestão de riscos. Quanto melhor o sistema de armazenamento e mais ágil o tratamento de dados, mais rápida é avaliação dos riscos. Com um processamento de dados eficiente, gestores possuem todos os elementos que precisam para tomarem decisões quando se trata de minimizar riscos e evitar danos. Não por outro motivo, soluções que contam com um processamento de dados eficiente contribuem de forma significativa para o sucesso da gestão de riscos.

Atualização frequente e usabilidade

A possibilidade de atualizar dados no sistema com frequência é outro ponto que influencia no sucesso da gestão de risco. Isso porque, através de dados atualizados, gestores podem ter acesso a um panorama realista e que de fato permite um processo de tomada de decisões mais assertivo.

Outro aspecto que deve ser levado em conta é a usabilidade das ferramentas utilizadas na gestão de risco. Soluções consideradas lentas ou difíceis de mexer prejudicam as análises de crédito e, consequentemente, prejudicam também a avaliação de riscos.

Relatórios que sejam simples e de fácil compreensão

Gerar relatórios é uma funcionalidade comum para a maioria das soluções tecnológicas que visam monitorar a inadimplência e controlar o financeiro da empresa. Mesmo as soluções digitais que lidam apenas com os processos de cobrança contam com funcionalidades para gerar relatórios.

No entanto, mais do que relatórios, é essencial gerar documentos que sejam de fácil compreensão e facilitem na hora de tomar decisões. Os relatórios gerados pelo sistema precisam ser organizados, bem estruturados e com informações claras. As projeções também são um aspecto importante que não devem ser ignorados.

Muitas empresas possuem muitos dados quando se trata do financeiro. Logo, é fundamental contar com soluções que sejam capazes de processar e facilitar a compreensão desses dados de forma global.

Automação

Muitas empresas ainda lidam com a inadimplência e com a cobrança através de processos manuais. Além do risco de erros, esse tipo de prática costuma ser lenta e burocrática. Além e automatizar a cobrança, a gestão de riscos também precisa ser automatizada, garantindo assim a eficiência operacional, baixos custos em menos erros.

Criando boas práticas para a gestão de risco

Além de saber quais são os fatores que influenciam no sucesso a gestão de risco, é fundamenta conhecer quais são as boas práticas que fazem parte de uma boa gestão de riscos. Algumas delas, listamos abaixo.

Classificar os perfis de cliente

Não é possível ter a certeza sobre o momento em que o cliente se tornará inadimplente. No entanto, algumas avaliações do perfil podem afastar alguns riscos financeiros. Muitas empresas consideram tanto a avaliação do perfil financeiro, quanto a reputação no mercado para fazer qualquer tipo de concessão de crédito. Com as ferramentas certas é possível realizar uma análise minuciosa e capaz de apontar clientes que possuem mais riscos de se tornarem inadimplentes.

Atualizar e monitorar regras de crédito

Também está entre as boas práticas a atualização e o monitoramento do crédito. Toda empresa conta com uma realidade dinâmica e os motivos que fundamentam a concessão de crédito podem mudar, assim como a realidade de um negócio muda.

Limites de crédito

Para evitar os danos da inadimplência, é preciso que o empresário seja consciente na hora de conceder crédito. Além disso, ele deve definir limites seguros levando em consideração não apenas a situação financeira da empresa, mas também a capacidade de pagamento dos clientes

Análises automatizadas

Por fim, contar com sistemas que possibilitam analisar de forma rápida e simples o histórico do cliente e sua reputação. Esse tipo de solução auxilia no processo de tomada de decisão e na construção de réguas de cobrança e outras medidas internas.

Hoje empreendedores tem à disposição uma série de ferramentas que auxiliam na gestão de risco. Uma solução para automatização da cobrança pode ser um desses recursos que facilita e organiza o processo de cobrança, mas também oferece um panorama mais completo sobre a inadimplência.

 Você já conhecia ferramentas que tornam a notificação extrajudicial mais ágil e garantem a recuperação do crédito mais eficiente? Veja também como funciona o processo de cobrança digital. Clique aqui e saiba mais!

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no email
Email
Gestão

Gestão de risco: o que é?

Toda empresa assume riscos quando concede crédito. Afinal, é impossível prever quando um cliente irá deixar de pagar. A inadimplência, muitas vezes, decorre de fatores

+

Deixe um comentário